5 Sugestões Para Reformar Tua Residência

Kátia Najara, A Autônoma De Sangue Que é ‘corporação De Uma Mulher Só’


O mercado de coworking cresceu 114% em 2017 e 52% em 2016, sempre na comparação com os anos anteriores, de acordo com o Censo Coworking Brasil. Na atualidade, no povo, são 810 espaços —217 apenas pela cidade de São Paulo, bem como de acordo com o levantamento. Sensacional opção pra autônomos e pequenas e médias empresas, o escritório compartilhado atraiu a atenção do paulistano Keiji Sakai, 51, quando ainda era diretor de tecnologia da B3 (antiga BMFBovespa) e procurava um ambiente onde pudesse empreender.


Sakai achou um escritório “convencional” de 9 metros quadrados em um prédio perto do metrô Chácara Klabin (zona sul da capital). 1.800. Os valores altos levaram Sakai a pesquisar opções de coworking. Ele escolheu um escritório fechado de nove metros quadrados na Regus, corporação internacional presente em 120 países. 3.150 pelo pacote que acrescenta a sala e mais serviços coletivos.


A Folha passou 3 dias em 3 escritórios compartilhados para perceber a experiência de Sakai. ↑ «Calendário Com Feriados desde espaços com salas amplas sem divisões até opções de escritórios fechados. Os coworkings contam também com cafés, refeitórios, espaços de descompressão (normalmente em terraços), salas de reunião e auditórios. Apesar de oferecerem o mesmo objeto, os espaços têm diferentes pacotes de serviços e de local.


Os executivos, em geral, preferem os de estilo mais clássico, com decoração sóbria, que se parecem com centros empresariais, como os ofertados por Regus, Vip Office e Global Hub. Dicas De Decoração Para Quartos De Bebê , 51, sócia da agência de marketing Benjamin Intercomunicação. Especial Bom E Barato: Os Melhores (e Mais Em Conta) Restaurantes Do Ano empresária teve uma experiência de seis meses em um coworking deste tipo. Pela data, Souza contratou um pacote de serviços que incluía um escritório fechado para 9 pessoas. No decorrer do semestre, a organização cresceu, e Souza teve de requisitar à gestora do coworking para dobrar o tamanho das instalações de um dia para o outro. Ao longo do tempo, no entanto, a conta ficou alta, e a corporação arrumou uma sede própria.


Adalberto Araújo, 62, sócio da consultoria de TI Six Partners. Hoje, Araújo tem uma mesa fixa no coworking LinkU2, na avenida Paulista (localidade central de São Paulo). Ele aparecia o ambiente extrovertido do espaço, conferido principalmente pelos jovens trajando tênis e camiseta da organização de bitcoin que fica a poucos metros da mesa dele.


Araújo carrega somente o computador e um kit de adaptadores de tomada, diferente de sua colega de mesa, Sandra Alves, 44, da Conexão Travel, que ainda não se desapegou dos pertences do velho escritório. Ela carrega até um porta-lápis. Araújo. Alves concorda que ainda não largou hábitos do passado. Empreendedores e profissionais mais jovens costumam preferir espaços gratuitos pra trabalhar.


E não necessita nem sequer ser um coworking formal. Várias vezes, basta um espaço com mesas, cadeiras e uma rede de wi-fi. Cafés e centros culturais se encaixam neste perfil. Felipe Moslavacz, 24, proprietário da Agência Motor, de marketing digital. Moslavacz não é o único. As unidades da rede ficavam tão cheias de freguêses mergulhados em seus computadores que a corporação passou a delimitar o número de horas de uso da internet às comandas de consumo. Um dos espaços mais disputados pelo público em São Paulo é o Campus do Google, inaugurado há pouco mais de um ano, no bairro do Paraíso, na zona sul de São Paulo.




Trata-se do primeiro espaço da organização na América Latina destinado a abrigar empreendedores e profissionais liberais interessados em acrescentar a rede de contatos. Os 2 últimos andares do prédio ficam abertos ao público. O campus tem mesa de sinuca, pufes e bebedouros. O emprego do espaço é gratuito, paga-se só o que for consumido no café do lugar. Porém o lugar tem o mesmo “dificuldade” da rede Starbucks. Hoje, quem chega depois das 11 horas da manhã duvidosamente localiza um espaço para se instalar. E, quando encontra, não é sempre que é confortável.


Vários do que possuem a intenção de ser um empreendedor, começam um negócio com uma ideia bem estabelecida de quais itens serão comercializados, porém não têm tal discernimento sobre o assunto seu público-alvo e o que eles procuram. Deste significado, fazer uma procura de mercado ajuda bastante a entender as pessoas com quem tua corporação vai se comparar.


Juntando todos esses detalhes, é possível cruzá-los com os itens que você pretende vender, buscando saber se eles serão atrativos a ponto de as pessoas preferirem a tua loja, e não a do concorrente. Nos assuntos acima, dissemos que a internet possibilita alcançar um público superior, distribuído em diferentes regiões e com perfis variados.